terça-feira, 16 de julho de 2024

SAÚDE: 5 dicas para evitar as doenças de inverno que o trabalhador pode adotar

 1 - Mantenha os ambientes bem ventilados

Certifique-se que sua casa e ambiente de trabalho estejam bem arejados, apesar do frio, para que o ar fresco circule.

2 – Esteja aquecido e bem hidratado

Use roupas adequadas à temperatura, isso fortalece o sistema imunológico, pois protege o corpo da exposição ao frio. Além disso beba bastante água pois o ar frio desidrata as mucosas.

A paisagem é linda,  mas precisamos nos proteger e cuidar da nossa família no inverno.

3 – Higiene pessoal e do ambiente

Lave as mãos, com regularidade, com água e sabão, ou use álcool em gel, especialmente depois de tossir ou frequentar local públicvo. Lembra aqueles cuidados que se tornaram comuns durante a epidemia da Covid? Pois então, eles continuam valendo. Limpe muito bem, também, maçanetas e o celular.

4 – Vacine-se

Estão disponíveis na rede pública de saúde e para todos os públicos, a vacina contra a gripe. A vacina contra a covid está disponível para idosos e pessoas com doenças crônicas. Também é importante manter em dia a prevenção com as vacinas pneumocócicas.

5 – Mantenha hábitos saudáveis - pequenas mudanças que o trabalhador pode fazer

Importante manter a rotina de exercícios físicos e a boa alimentação. E isso não é privilégio de quem tenha mais recursos financeiros. O trabalhador pode mudar pequenos hábitos, como subir escadas, caminhar parte do trajeto até o local de trabalho e comer menos gordura saturada, ou açúcar refinado.

quinta-feira, 11 de julho de 2024

Deputados aprovam Reforma Tributária

 


A Câmara dos Deputados aprovou nessa quarta-feira, 10/7, por 336 votos a favor e 142 contrários, o texto base da Reforma Tributária, já com os destaques. Confira o que mais importa para nós, trabalhadores.

Alimentos que serão isentos de impostos federais: A proposta lista alimentos da chamada cesta básica nacional, que terão alíquota zero dos novos tributos. São eles: Carne vermelha, Arroz, Leite fluido pasteurizado ou industrializado, na forma de ultrapasteurizado, leite em pó, integral, semidesnatado ou desnatado; e fórmulas infantis definidas por previsão legal específica, Manteiga, Margarina, Feijões, Raízes e tubérculos, Cocos, Café, Óleo de soja, Farinha de mandioca, Farinha, grumos e sêmolas, de milho, e grãos esmagados ou em flocos, de milho, Farinha de trigo, Aveia, Açúcar, Massas alimentícias, Pão do tipo comum (contendo apenas farinha de cereais, fermento biológico, água e sal), Ovos, Produtos hortícolas, com exceção de cogumelos e trufas, Frutas frescas ou refrigeradas e frutas congeladas sem adição de açúcar.

Há ainda uma lista de produtos que terão desconto de 60% sobre a alíquota dos futuros impostos. São eles: Carnes bovina, suína, ovina, caprina e de aves e produtos de origem animal (exceto foies gras) e miudezas comestíveis de ovinos e caprinos, Peixes e carnes de peixes (exceto salmonídeos, atuns; bacalhaus, hadoque, saithe e ovas e outros subprodutos), Crustáceos (exceto lagostas e lagostim), Leite fermentado, bebidas e compostos lácteos, Plantas e produtos de floricultura relativos à horticultura e cultivados para fins alimentares, ornamentais ou medicinais, Queijos tipo mozarela, minas, prato, queijo de coalho, ricota, requeijão, queijo provolone, queijo parmesão, queijo fresco não maturado e queijo do reino, Mel natural, Mate, Farinha, grumos e sêmolas, de cerais; grãos esmagados ou em flocos, de cereais, Tapioca e seus sucedâneos, Massas alimentícias, Sal de mesa iodado, Sucos naturais de fruta ou de produtos hortícolas sem adição de açúcar ou de outros edulcorantes e sem conservantes, Polpas de frutas sem adição de açúcar ou de outros edulcorantes e sem conservantes, Óleos de milho, aveia, farinhas

Cashback: será destinado às famílias com renda per capita de até meio salário-mínimo e inscritas no CadÚnico. o imposto sobre consumo de competência federal (CBS) — para energia elétrica, água, esgoto e gás natural – será devolvido integralmente, ou seja, 100%.

— Medicamentos: isenção total para as vacinas e redução de 60% nos remédios de uso sazonal (antigripais e analgésicos, por exemplo), os remédios de uso contínuo fornecidos pela farmácia popular serão isentos de impostos federais e haverá inclusão de outros.

Também foi mantida a isenção total a produtos para saúde menstrual, como absorventes. Produtos de higiene pessoal e limpeza terão alíquota reduzida de 40%, como papel higiênico e escova de dentes.

Além disso:

Haverá uma alíquota única para os impostos sobre consumo, de cerca de 26,5%.

Com isso, alguns produtos pagarão menos que hoje, e outros pagarão mais. O somatório será o mesmo, para não aumentar nem diminuir a carga tributária.

Mas o essencial, segundo o governo, é que os impostos não serão mais cumulativos, como são hoje.

Isso significa que o pagamento de tributo vai incidir apenas uma vez na cadeia de produção e venda de um item.

Sem a cumulatividade (sem o pagamento de tributo sobre tributo – como acontece hoje), custos baixam, a eficiência produtiva aumenta, e os produtos podem até baixar de preço.

A Reforma Tributária aprovada na Câmara dos Deputados, vai agora para apreciação e aprovação do Senado Federal. Se aprovada, parte para sanção do presidente Lula. Assim, ela deverá entrar em vigor totalmente até 2033.

Com informações: Câmara dos Deputados, G1 e InfoMoney

sexta-feira, 5 de julho de 2024

Reforma tributária: o que ajudará o trabalhador?

A proposta do governo federal, que foi apresentada nessa quinta-feira, 4/7, ainda vai passar por votação nos plenários do Congresso Nacional, Câmara e Senado, para só assim ir para sanção do presidente Lula. Cabe ressaltar que a Reforma Tributária já foi aprovada pelo Congresso em 2023.

Pelo novo texto, alguns produtos incluídos com alíquota ‘zero’ vão beneficiar os trabalhadores e os cidadãos, principalmente, as famílias mais pobres. Mas ainda não é o definitivo. Mesmo assim, já está sendo divulgado.

Veja como serão tributados produtos incluídos na nova Reforma e que poderão beneficiar a população em geral:

— Carnes bovina e de frango: a tributação zero não foi incluída, embora defendida pelo presidente Lula. Os deputados entendem que zerar a tributação poderia elevar a alíquota geral prevista que será de 26,5%. Carnes bovinas e de frango ficariam em 10,6%.

— Cesta Básica: o governo zerou a alíquota dos novos impostos federais criados na Reforma para substituir os anteriores. A saber - IBS e CBS. Confira os 15 produtos na foto da tabela.

— Cashback: os mais pobres receberão de volta o dinheiro pago em impostos sobre consumo, nos cartões do CADúnico.

Absorventes higiênicos: imposto zero.

Medicamentos: 850 medicamentos terão imposto reduzido e outros 383 ficariam isentos de tributos, que é uma medida para evitar a alta dos produtos, mas isso depende também das empresas farmacêuticas repassarem a queda nos impostos ao consumidor.

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), prevê que os deputados votem o texto já na próxima semana (2ª semana de julho/24). No parlamento federal são necessários 257 votos favoráveis.

Depois, o texto vai ao Senado, onde precisa de 41 votos a favor e pode voltar à Câmara se os senadores fizerem mudanças grandes.

Só então, o projeto vai à sanção do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pode virar lei.

sexta-feira, 28 de junho de 2024

O SECHSPA pratica o bom sindicalismo!

 

Neste mês de junho, duas notícias alarmaram o movimento sindical, por outro lado, mostraram que o joio no meio do trigo pode ser colhido e é muito pouco, em detrimento de todo o benefício que os sindicatos brasileiros conseguem para as suas categorias. Vamos aos casos e, por fim, nossas considerações:

1º Caso: No dia 25/6, a Polícia Civil do Paraná prendeu três pessoas envolvidas em desvio de R$ 3,6 milhões em Contribuições Sindicais.  Entre os presos estão os presidentes de dois sindicatos, um patronal e outro de trabalhadores, além de um terceiro indivíduo. Foram apreendidos celulares, mídias em geral e documentos. A PCPR também conseguiu o bloqueio de valores nas contas dos investigados e, se necessário, o sequestro de veículos e imóveis.

2º Caso: Eurípedes Jr., oriundo do movimento sindical (foi da diretoria da central Força Sindical) e. hoje, presidente do partido Solidariedade, entregou-se à PF no dia 15/6 e encontra-se detido no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília, após ser alvo da Operação Fundo no Poço, deflagrada pela Polícia Federal para investigar um suposto esquema de desvio de verbas partidárias do PROS, em 2022. A legenda foi incorporada no ano passado pelo Solidariedade.

Baseados nisso, nós, diretores do SECHSPA garantimos a vocês, trabalhadores, que praticamos um sindicalismo sério há mais de nove décadas e nosso Sindicato pode ser investigado, de todas as formas, que jamais encontrarão qualquer irregularidade. Nós levamos a sério todas as contribuições sindicais, sempre procurando o melhor para o trabalhador através da manutenção de direitos já adquiridos ao longo dos anos de luta sindical e na busca por novos, tendo como base os anseios que a categoria nos apresenta!

Confie no seu Sindicato. O joio está sendo colhido no Brasil, mas quem é trigo, com certeza rende bons frutos para todos!

segunda-feira, 17 de junho de 2024

Vitória dos trabalhadores: IPCA será referência para a correção das contas do FGTS

 A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que julgou na quarta-feira, 12/6, a correção das contas vinculadas ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), é considerada uma conquista aos trabalhadores. “O FGTS ainda enfrenta desafios importantes a sua sustentabilidade, mas a decisão do STF representa importante conquista para os trabalhadores com a garantia da manutenção do poder de compra do seu patrimônio e mantém a capacidade do Fundo em sustentar o financiamento da habitação popular, saneamento e infraestrutura”, ressalta o Secretário de Proteção ao Trabalhador do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), Carlos Augusto Gonçalves Júnior.

Desde 2016, a correção das contas do FGTS vinha sendo feita pela Taxa Referencial (TR), mais 3%, e mais a remuneração de distribuição dos resultados (instituída em 2016). Isso continua valendo, porém, a decisão do STF estabeleceu a TR como piso, ou seja, a correção das contas não poderá ser inferior ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Nos anos em que a remuneração das contas não alcançar o IPCA, caberá ao Conselho Curador do Fundo determinar a forma de compensação (art. 3º da Lei nº 8.036/1990).

No mês de agosto, os trabalhadores já vão receber os dividendos relativos ao ano anterior, que são depositados anualmente, que estabelece o IPCA como piso. Em 2023, a TR mais 3% ficou em 4,96% e o IPCA ficou em 4,62%. “Quando ainda somar a distribuição dos resultados, a correção será superior aos 4,62% do IPCA. Mas ainda não se tem o valor da remuneração auferida pelas contas com distribuição de resultados.

A decisão do STF também contempla uma remuneração extraordinária dos resultados do Fundo, que será negociada com as Centrais Sindicais. Isso ainda depende de acordo entre Ministério do Trabalho e trabalhadores, representados pelas centrais.

Com informações: Ascom MTE

quinta-feira, 6 de junho de 2024

CCT 2024 - Gastronomia e Hotéis - com nº Registro no MTE no dia 3/6/24

  Convenção Coletiva Gastronomia Porto Alegre - 2024

Trabalhador(a) tenha acesso à Convenção Coletiva Gastronomia POA: Porto Alegre, Canoas, Cachoeirinha, Esteio, Gravataí, Sapucaia do Sul e Viamão

Para conferir a Convenção Coletiva Gastronomia POA 2024:

CLIQUE AQUI 

Convenção Coletiva Hotéis Porto Alegre - 2024

 Trabalhador(a) de Hotéis Porto Alegre tenha acesso à Convenção Coletiva 2024

Para conferir a Convenção Coletiva Hotéis Porto Alegre 2024:

CLIQUE AQUI

quarta-feira, 29 de maio de 2024

Neste momento pelo qual o Rio Grande do Sul (nossa casa) está passando, precisamos ter fé e seguir em frente!

quarta-feira, 22 de maio de 2024

As medidas emergenciais do governo federal que beneficiarão os trabalhadores gaúchos

ENEM: todos os candidatos do Rio Grande do Sul terão isenção na inscrição. Mesmo os que não estão nos critérios para não pagar a taxa. Além disso, o Rio Grande do Sul terá um calendário exclusivo de inscrições, que ainda não foi definido.

AUXÍLIO RECONSTRUÇÃO: as prefeituras já podem indicar os beneficiários no site do Auxílio Reconstrução. São R$ 5,1 mil por família. A partir do dia 27 de maio, as famílias terão de acessar o portal gov.br e confirmar os dados que as prefeituras informaram. O pagamento será feito pela Caixa Econômica Federal. O beneficiário vai receber o dinheiro pelo aplicativo Caixa Tem. As famílias estão localizadas em 369 municípios nas áreas de risco.

RESTITUIÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA: gaúchos terão preferência e serão "passados" na frente de outros cidadãos que declararam o IR.

SEGURO DESEMPREGO: serão acrescidas duas parcelas a mais para quem já está recebendo o benefício.

FINANCIAMENTO HABITACIONAL: o pagamento das parcelas estão suspensas por 6 meses para beneficiários do Minha Casa Minha Vida, ou que adquiriram os imóveis por financiamento da Caixa Federal. Para solicitar a suspensão o usuário deve procurar uma agência da Caixa, presencialmente ou por telefone.

SAQUE-CALAMIDADE FGTS

O Saque Calamidade do FGTS (emergencial) no valor máximo de R$ 6.220,00 está disponível em 359 municípios gaúchos, dentre eles os da base do SECHSPA:

— Alvorada (ainda em processo de habilitação)

— Cachoeirinha

— Canoas

— Esteio

— Gravataí

— Porto Alegre

— Sapucaia do Sul

— Viamão


COMO SACAR

Para pedir a liberação do benefício, o trabalhador que tem direito deve acessar no aplicativo FGTS e fazer a solicitação com clique na opção “Solicitar meu saque 100% digital” ou no menu inferior “Saques” e selecionar “Solicitar saque”. Na seleção do motivo do saque, apontar “Calamidadepública”, informar o nome do município, digitar o CEP e o número da residência e clicar em “Continua”.

Depois, é necessário encaminhar os seguintes documentos:

- cópia da frente e do verso do documento de identidade, da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) ou do passaporte, além de foto do próprio rosto segurando o documento de identificação;

- cópia do comprovante de residência em nome do trabalhador, como conta de luz, água, telefone, gás, fatura de internet, de TV e de cartão de crédito, entre outros, emitido até 120 dias antes da decretação de calamidade;

- cópia da certidão de casamento ou da escritura pública de união estável, caso o comprovante de residência esteja em nome de cônjuge ou do companheiro.

Em razão dos alagamentos, se não for possível apresentar comprovante de residência em nome do trabalhador, é possível apresentar uma declaração do município atestando que o trabalhador é residente na área afetada.

O cidadão deve selecionar a opção para creditar o valor em conta Caixa, inclusive poupança, ou outro banco. Após o envio, a Caixa irá analisar a solicitação e, após aprovação, o valor será creditado em conta.

Dúvidas

Mais informações sobre o saque-calamidade podem ser obtidas no site oficial do FGTS. Caso necessário, os telefones de contato com a Caixa são os 4004 0104 (para ligações feitas a partir das capitais e regiões metropolitanas) ou 0800 104 0 104 (nas demais regiões).

Com informações: Agência Brasil e Site do FGTS

terça-feira, 14 de maio de 2024

Termo Aditivo à Convenção Coletiva de Trabalho 2024

Confira o Termo Aditivo da Convenção Coletiva de Trabalho 
HOTÉIS PORTO ALEGRE


Confira o Termo Aditivo da Convenção Coletiva de Trabalho 
GASTRONOMIA PORTO ALEGRE E GRANDE PORTO ALEGRE

sábado, 11 de maio de 2024

Que o dia das mães seja momento de muitos abraços!

Nos solidarizamos com mães que perderam e/ou procuram seu filhos e com os filhos que buscam suas mães. Neste momento tão delicado para o Rio Grande do Sul, que o Dia das Mães represente um respiro de ternura e carinho junto a abraços fraternos e apertados.

Continue ajudando. Pix Rio Grande do Sul: 92.958.800/0001-38 (cnpj) - Esse recurso é gerido por um fundo de entidades da sociedade civil.

segunda-feira, 6 de maio de 2024

ATENÇÃO!


 

O nosso Rio Grande do Sul precisa de nós!

O Rio Grande do Sul está passando pela pior catástrofe climática de sua história. Vários trabalhadores atingidos e precisando de nossa ajuda! Se você não conseguir enviar qualquer quantia pelo pix, tente ajudar com alimentos, materiais de higiene pessoal, colchões, roupas de cama e cobertores. Leve aos pontos de coleta ou voluntarie-se para colaborar!

segunda-feira, 15 de abril de 2024

Atenção trabalhadoras: funcionária temporária tem direito a estabilidade gestacional retroativa

O Benefício

Para os magistrados, não pode norma infraconstitucional, que dispõe sobre o contrato de experiência ou temporário, afastar direito assegurado na Constituição.

Com base nisso...

Auxiliar de limpeza contratada por período determinado possui direito a estabilidade gestacional de forma retroativa. A decisão é da 8ª turma do TRT da 2ª região, ao entender que independe da natureza do acordo firmado, a CF/88 garante o benefício visando a proteção da mãe e do nascituro.

Nos autos, a mulher narra que era auxiliar de serviços gerais em empresa terceirizada, e prestou serviço em uma escola municipal com contrato temporário, pelo prazo de 90 dias. Entretanto, afirma que ao ser dispensada por justa causa antes do término do acordo, já estava grávida de seis semanas.

Na origem, o juízo julgou o pedido como improcedente, tendo em conta o reconhecimento da validade do contrato temporário da mulher, bem como em razão da fixação de tese jurídica pelo TST.


Em recurso, a desembargadora Sueli Tomé da Ponte, entendeu que a empregada gestante, além do direito à respectiva licença maternidade de 120 dias (art. 7º, XVIII, da CF/88), também faz jus à garantia provisória de emprego.

"Releva notar que o legislador constituinte fez inserir norma de ordem pública visando à proteção da maternidade e do nascituro, bem assim à permanência no emprego, cujo conteúdo não contempla qualquer restrição, isto é, independe da natureza do contrato, se firmado por tempo indeterminado ou não. Assim, não pode a norma infraconstitucional, que dispõe sobre o contrato de experiência ou temporário, afastar direito constitucionalmente assegurado."

Assim, deu provimento ao pedido da mulher e condenou a empresa ao pagamento de indenização do período de estabilidade correspondente aos salários devidos desde o fim do contrato até cinco meses após a data do parto.

Com informações: Portal Migalhas

terça-feira, 9 de abril de 2024

Projeto proíbe empresa de negar vaga à mulher que é mãe

 

Um dos motivos que contribuem contra a saúde mental da mulher é a discriminação laboral. Quando vai em busca de um emprego é desprezada pelo fato de ser mãe ou estar apta para a maternidade. Um projeto de lei, da deputada Silvye Alves (União -GO) tenta corrigir esse problema.

Ela colocou em votação na Câmara dos Deputados uma proposta, a de número 5355/23, que vai proteger a mulher contra esse tipo de discriminação. Pela lei a condição de mãe, não pode ser aventada na entrevista de trabalho, o que corrigiria também a questão da igualdade de oportunidades.

Hoje a própria CLT – Consolidação das Leis do Trabalho fixa vedações para corrigir distorções no acesso da mulher ao mercado de trabalho. A lei proíbe o empregador, por exemplo, de recusar promoção ou dispensa do trabalho por situação familiar ou gravidez.

O documento já está tramitando e sendo analisado em caráter conclusivo pelas comissões de Defesa dos Direitos da Mulher; de Trabalho e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Fonte: Agência Câmara

segunda-feira, 1 de abril de 2024

A promoção da igualdade salarial nas empresas

As desigualdades que nos rodeiam são injustiças genuinamente humanas. E cabe a nós seres humanos, também, promover o contrário. Relatório recentemente divulgado pela organização Equileap — Data for Equality1, “Gender Equality Report & Ranking 2024”2 —, avaliou a desigualdade entre trabalhadores e trabalhadoras em cerca de 4 mil empresas em países desenvolvidos, atualizando dados divulgados desde 2017.


   Nesse estudo foram analisadas 3.795 empresas, presentes em 27 países e representando cerca de 103 milhões de trabalhadores. O relatório analisa 21 indicadores de igualdade de gênero nas empresas, incluindo equilíbrio de gênero na força de trabalho, disparidades salariais entre homens e mulheres, licença parental remunerada, políticas contra o assédio sexual, racial e étnico, e apoio a funcionários, com diversidade de gênero, entre outros.
   Os avanços legislativos são impulsionadores estratégicos de políticas de equidade de gênero nos locais de trabalho, assim como as negociações coletivas são instrumentos poderosos pelos quais sindicatos e empresas pactuam regras, medidas, programas, práticas, princípios para enfrentar e superar essas mazelas.

Das quase 3,8 mil empresas analisadas, apenas 41 dessas, pouco mais de 1%, conseguiram eliminar as disparidades salariais entre homens e mulheres em 2023.

Alcançaram o equilíbrio de gênero na composição da força de trabalho, nos cargos de gerência e na alta direção e conselho, 32 empresas. Observando essas dimensões para o conjunto de empresas analisadas, destaca-se que:

• 38% da força de trabalho são mulheres e 62% são homens;

• 27% dos cargos de gestão são ocupados por mulheres e 73% por homens;

• 22% dos executivos são mulheres e 78% são homens;

• 30% dos quadros de conselho e diretoria são mulheres e 70% homens;

• 7% dos CEO são mulheres e 93% são homens; e

• Apenas 32 empresas (0,8%) das 3,8 mil empresas alcançaram equilíbrio de gêneros em todos os quesitos acima.

O Brasil passa a integrar a lista de países de promovem legislação pró-igualdade. Em julho de 2023, o presidente Lula sancionou o PL (Projeto de Lei) 111/23, aprovado pelo Congresso Nacional, transformando-o na Lei 14.611/23. Essa nova lei dispõe sobre a igualdade salarial e critérios remuneratórios entre mulheres e homens para a realização de trabalho igual ou no exercício da mesma função.

A lei aponta medidas para a promoção da transparência salarial, incremento da fiscalização, disponibilização de canais para denúncia, promoção de programas de diversidade e inclusão no ambiente de trabalho, e o fomento à capacitação e à formação de mulheres para o ingresso, permanência e ascensão no mercado de trabalho.

O Decreto 11.795/23, que regulamenta essa lei, detalhando a forma e o conteúdo do Relatório de Transparência Salarial e de Critérios Remuneratórios, obrigação semestral de todas as organizações contratantes com 100 ou mais empregados.

O desafio dos sindicatos e empresas no Brasil: promover, por meio da negociação coletiva, o enfretamento dessa grave desigualdade.

Com informações: DIAP – Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar